Projeto cultural tradicional é ameaçado por falta de patrocínio

Diretor-executivo da UniCultura participa do Fórum Social Temático
26/01/2012
Palhaços passam por seleção para a Trupe
09/02/2012
Show all

Projeto cultural tradicional é ameaçado por falta de patrocínio

Indo para sua 10ª edição, o Concurso de Piano Profª Edna Bassetti Habith pode não ser realizado em 2012. Tradicional em Curitiba, o concurso, que reúne pianistas de todo o Brasil e apresentações de consagrados músicos e maestros nacionais e internacionais, está ameaçado pela falta de patrocínio. “É uma pena que um concurso já tradicional e que agregue tanto à cidade e à produção musical corra o risco de não acontecer por falta de um patrocínio que não custa nada às empresas”, avalia o diretor executivo da Universidade Livre da Cultura, Ricardo Trento, que organiza o concurso.

São necessários R$ 150 mil para a realização do evento. Contemplado pela Lei Rouanet, o projeto pode ser realizado por meio de doações de parcelas do imposto de renda: até 4% para empresas e 6% para pessoas físicas. Para as pessoas jurídicas, como o prazo para a declaração foi encerrado em dezembro, é possível fazer a antecipação do imposto de 2012 a partir da expectativa de faturamento para o ano. “Algumas empresas costumam declarar o imposto mensalmente para manter as finanças organizadas, e a doação também pode ser deduzida desse valor”, indica Trento.

O Concurso

Desde 2003, o Concurso de Piano Profª Edna Bassetti Habith teve edições anuais que recebiam músicos, estudantes ou profissionais, de vários estados brasileiros. Durante os quatro dias de audições, os participantes apresentam, sem o auxílio de partituras, quatro obras: um movimento vivo de sonata ou sonatina clássica; uma obra do período romântico, moderno ou contemporâneo; uma composição erudita brasileira; além de uma peça de Bach especificada no regulamento concurso.

O que se via na capital paranaense era um panorama do ensino e da prática do piano no Brasil. “Foi implementado o ensino de música das escolas, mas é necessário também incentivar a formação de plateia e a troca de experiência entre esses artistas desde os primeiros anos de prática”, avalia Trento. Os concertos eram abertos ao público e algumas apresentações chegaram a lotar a Capela Santa Maria, na Rua Conselheiro Laurindo, onde o evento era realizado.

Além disso, na nona edição foram destaques as presenças de pianistas como Hanny Kam, convidada especial da Karlsruher Musikschule, Felipe Valério, do Conservatório de Stuttgart – ambos na Alemanha –, do influente maestro Antônio Bezzan e da pianista e cravista Ingrid Seraphim, criadora da Camerata Antiqua de Curitiba. Conhecidos na cena de música erudita, eles atuaram também como olheiros para promover oportunidades aos pianistas que se destacavam no concurso. Renata Bitencourt, vencedora da 7ª edição, por exemplo, atualmente estuda na Conservatoire 93 d’Aubervilliers, em Paris. Como prêmio da 10ª edição, além de R$ 10 mil, o projeto prevê o envio do ganhador para o Conservatório de Stuttgart.

Como doar

As doações para a realização da 10ª edição do Concurso de Piano serão aceitas pela Universidade Livre da Cultura, ONG produtora do evento, até abril. Os valores não saem do orçamento das empresas, já que são deduzidos do imposto de renda devido à União. Os patrocinadores têm o nome e a marca divulgados junto com o projeto, por meio de assessoria de imprensa e dos materiais gráficos. Empresas que tiverem interesse em efetuar a doação podem entrar em contato diretamente com a Universidade Livre da Cultura, pelo telefone (41) 3023 2008 ou pelo email unicultura@unicultura.com.br.