Projeto “Trupe da Saúde” retorna à atividade nos hospitais no dia 9 de março

“Músicas do Portão pra Dentro” ganha três prêmios Gralha Azul
17/12/2014
Livro que conta história do Paraná é lançado em Bogotá e Assunção
02/03/2015
Show all

Projeto “Trupe da Saúde” retorna à atividade nos hospitais no dia 9 de março

O grupo de palhaços da Trupe da Saúde já tem dia para voltar aos hospitais: 9 de março. Após um período de férias, antes do retorno à atividade eles passam por duas semanas de treinamento. O projeto, realizado por meio da Lei Rouanet, ainda precisa de patrocinadores. Com o valor captado até o momento é possível manter o funcionamento da Trupe da Saúde até agosto.
Em Curitiba, desde o ano 2000, o grupo de palhaços “Trupe da Saúde” visita cinco hospitais semanalmente: segunda-feira as visitas são no Hospital Pequeno Príncipe; terça a Trupe se divide entre Hospital Cruz Vermelha e Evangélico; e nas quartas-feiras visitam o Erasto Gaertner e o Hospital de Clínicas da UFPR. O roteiro permanecerá inalterado em 2015. São dez atores profissionais que descontraem o ambiente muitas vezes pesado do hospital, assim reduzindo o estresse do internamento e aumentando a colaboração e a interação entre os pacientes, familiares e funcionários.
O serviço é gratuito para as instituições de saúde e, claro, para os pacientes: é realizado por meio da Lei Rouanet, que permite que empresas destinem parte dos impostos devidos ao governo para projetos culturais.
O projeto é realizado pela Universidade Livre da Cultura (Unicultura – ONG que gerencia diversos projetos culturais na cidade de Curitiba). O patrocínio por meio da Lei Rouanet funciona da seguinte forma: empresas podem doar até 4% de seu Imposto de Renda e 6% para pessoas físicas. Para as pessoas jurídicas, o prazo para a declaração sempre se encerra em dezembro, mas é possível fazer a antecipação do imposto a partir da expectativa de faturamento para o ano. Também podem ser doados valores referentes ao imposto de renda das algumas empresas optam por declarar mensalmente. Ou seja: a empresa doa apenas o pagamento que já seria realizado para o Governo Federal.