Responsabilidade Socioambiental atrai Investidores e Consumidores

Equipe da Unicultura faz visitas técnicas a espaços culturais de São Paulo
16/03/2015
Redescobrindo Gal: Alexandra Scotti
30/09/2015
Show all

Responsabilidade Socioambiental atrai Investidores e Consumidores

A participação das empresas em projetos culturais e ambientais assume função estratégica no desempenho econômico.

A revolução tecnológica, a difusão da comunicação aliadas as revoluções socioculturais ocorridas nos últimos anos tem gerado a necessidade de que as empresas resignifiquem sua atuação perante a sociedade. A função das organizações privadas é questionada pela comunidade em virtude ao retorno social que oferece como contrapartida ao lucro obtido com suas atividades. A consciência é de que uma empresa bem qualificada não é aquela que gera boas somas monetárias, mas sim a que dialoga com a comunidade, assumindo uma atuação social.

De acordo com a pesquisadora Elvira Ventura cada vez mais certificações na área social, como a SA 8000 e AA1000, balanços, selos, concursos; ou seja, todo um conjunto de regras e convenções para categorizar e classificar as empresas em relação a seu comportamento socialmente responsável são exigidos para suprir esta demanda da comunidade. As empresas brasileiras já estão atentas a essa demanda da sociedade, de acordo com o estudo Pesquisa Ação Social das Empresas (Pase) cerca de 59% dos estabelecimentos empresariais no Brasil desenvolvem atividades sociais. (fonte: IPEA)

A compreensão sobre a importância da responsabilidade social no desempenho das empresas tem se tornado recorrente, a revista especializada Época Negócios, que realiza a avaliação das melhores empresas do país, incluiu em sua pesquisa o item responsabilidade social na metodologia de analise. No resultado da pesquisa as melhores empresas do país só podem ser classificadas se realizarem ações de responsabilidade social.

Classificada como a empresa do ano, pela avaliação da Época Negócios do Ano, o banco Itaú Unibanco propõe-se a liderar o seguimento atingindo performance sustentável. Conceituando-a como capacidade de gerar valor compartilhado entre colaboradores, clientes, acionistas e sociedade.

“Nosso objetivo vai além dos resultados financeiros. Também buscamos gerar valor compartilhado, pelo qual pautamos nossas ações e desejamos ser parceiro no desenvolvimento das pessoas, da sociedade e dos países onde atuamos. Nesse contexto, reconhecemos nossa responsabilidade em exercer um papel transformador, atuando para além das nossas operações e contribuindo para gerar impactos positivos no mercado e na sociedade. Nesta política expressamos nossos princípios, estratégia e diretrizes para a sustentabilidade e responsabilidade socioambiental no Itaú Unibanco.” (Itau Unibanco – Empresa do Ano – Época Negócios.)

Na ultima década a responsabilidade social das empresas deixou de ser uma exigência exclusiva da comunidade e atualmente é uma demanda dos principais investidores. Fundos de pensão possuem em suas regras a aplicação em empresas socialmente responsáveis, a preferencia é por empresas aderentes aos índices o ISR dos Estados Unidos e o brasileiro ISE devido ao menor risco que estas ações oferecem.

Segundo relatório do MIT o crescimento do mercado americano de ISR nos foi 486%, primeira mensuração em 1995, e atualmente o ISR representa 11,3% do total de ativos no mercado americano.  De acordo com a Bovespa no Brasil ainda não existem levantamentos que identifiquem o montante de ativos ISR. Entretanto, é possível perceber o avanço desse tipo de investimento com base ao crescente número aderentes ao PRI (Principles for Responsible Investment na sigla em inglês, ou Princípios para o Investimento Responsável, na tradução livre) que representa o compromisso dos grandes investidores institucionais do mundo de investir em negócios socialmente responsáceis.  As empresas brasileiras representam 90% dos aderentes ao PRI na América Latina.

Compreendida em grande escala como uma relação de atribuição de imagem devido ao destaque que a mídia concede às notícias nessa área a responsabilidade social também torna as empresas atraentes no mercado de valores. De acordo com a BOVESPA o total investido em fundos ISR no Brasil já soma mais de R$ 800 milhões e das empresas participantes obtiveram um crescimento de 68% do patrimônio líquido. Outro fator que comprova a consolidação das empresas socialmente responsáveis é que mesmo durante a crise nos últimos 12 meses (setembro de 2014 até agosto de 2015), dos 51 integrantes do ISE, 14 tiveram retornos positivos.

FONTES:
http://exame.abril.com.br/marketing/noticias/bancos-investem-em-exposicoes-de-arte-para-fortalecer-marca
http://www.bmfbovespa.com.br/Indices/download/082015_bolISE_pt-BR.pdf
http://www.bmfbovespa.com.br/Indices/download/O-Valor-do-ISE.pdf
http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/3278/TESE%20MC%20-%20volume%20I.pdf
http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/Livro_Cultivando_Frutos_Sociais.pdf
http://www.vinciapogeo.com.br/blog-apogeo/economia-e-mercado/investimentos-socialmente-responsaveis/

<